PT
Show menu

Problemas de saúde mental

DEMÊNCIAS

 

A demência é uma manifestação complexa com deteriorações da memória, do pensamento e do comportamento, com repercussões na capacidade de realizar atividades diárias. Embora a demência seja comum em idosos não é parte do envelhecimento normal.

 

DEPRESSÃO

É uma doença de saúde mental relacionada com nenhum fator específico. As pessoas sob esta condição experimentam um profundo sentimento de tristeza eo compromisso de suas capacidades para realizar atividades diárias devido ao sofrimento que eles caíram. Pode estar associado a uma doença física especial aqueles que estão relacionados com dor e distúrbios do sono.

 

Depressão afeta 10-15% das pessoas com mais de 65 anos de idade. Os sintomas são: perturbação do sono, falta de energia e interesse, sensação de culpa e falta de valor, diminuição da concentração e perda de apetite.

 

Os sintomas de depressão em adultos, com mais anos, são muitas vezes negligenciados e não bem tratados. Eles podem ser facilmente confundidos com outros problemas comuns nessa faixa etária (isolamento e solidão).

 

 

Determinantes da saúde mental na vida adulta

 

As diferenças sociais e os recursos materiais da pessoa têm interferência na saúde mental. Cada pessoa avalia de forma diferente as conseqüências desses fatores em sua experiência de vida.

O ciclo de saúde mental é influenciado por muitos fatores que podem ser cometidos com o processo de envelhecer.

Na figura abaixo você pode ver essas interações e relações com o ciclo de bem-estar mental.
Ficando velho também compromete funções cognitivas. Às vezes, os idosos esquecem a importância das dimensões que interferem nas atividades cotidianas e nas relações interpessoais, tais como:

ATENÇÃO: Diminuição do desempenho da vigilância (capacidade de manter a atenção por mais de 45 min). Os idosos são mais susceptíveis de distrair (desviar) a atenção por informações irrelevantes e estimulação. O déficit de atenção pode afetar a aprendizagem ea memória.

APRENDIZAGEM: A capacidade de aprender e reter novas informações permanece inalterada particularmente quando a mente é estimulada. A capacidade de resolver problemas complexos diminui com a idade. Os déficits auditivos e visuais relacionados ao envelhecimento podem afetar a aprendizagem.

 

Envelhecer também introduz várias mudanças sociais. Algumas pessoas mais velhas podem ser mais sensíveis a essas manifestações de silêncio do que outras. As mudanças mais importantes que afetam os idosos são: aposentadoria, viúva, solidão, mudança de papéis e múltiplas perdas, o que significa que o envelhecimento está associado a grandes perdas físicas, psicológicas e sociológicas, bem como uma reduzida capacidade de adaptação e de compensação para estressores.

 

Os PROBLEMAS PSICOLÓGICOS mais comuns, que surgem daí, são:

- Fracos ajustes às mudanças de papéis,

- Pobre adaptação às mudanças de estilo de vida

- Problemas de relacionamento familiar

- Baixa autoestima

- Ansiedade e depressão,

- Comportamento agressivo,

- Solidão,

- Isolamento,

- Problemas com sexualidade,

- Abuso de idosos,

- Retirar e ter uma atitude negativa em relação à vida em geral.

 

 

RECOMENDAÇÕES PARA UMA BOA SAÚDE MENTAL PARA OS IDOSOS

Envolver-se nas questões relacionadas com a faixa etária dos idosos.
Participar em atividades que são planejadas para a faixa etária idosa.
Manter as relações sociais e melhorar as relações entre jovens e idosos; A solidariedade intergeracional gera para todos.
Estar interessado em todas as atividades de aprendizagem que são úteis para estar em contato com os outros e com o mundo.
Utilizar as ligações digitais numa abordagem harmonizada; Não substitui todos os ganhos de relações interpessoais pelo contato face a face.
Ser informado sobre as questões sociais; Manter-se conectado com a profissão anterior para estar atualizado sobre as mudanças.
Participar de programas científicos e culturais de algum interesse ou relacionado com sua carreira anterior.
Estar disponível na comunidade para ensinar sobre a experiência, formal ou informalmente.
Estar disponível como voluntário por uma causa em que ele acredita ou pode ser útil.